Wednesday, October 15, 2008

Pedido

Dá-me a mão agora, antes que seja tarde e o braço congele. Ajuda-me, mas agora, porque o amanhã pode pertencer a outro mundo paralelo. Salva-me enquanto o céu ainda for azul, o negro é invertível.
Não, não hesites. Não me odeies, não me temas. E não sofras comigo. Simplesmente, acaricia a alma que já foi tantas vezes exportada e humilhada.
Olha para mim sem pormenorizares as feridas, vê apenas o amanhã renascer do meu gesto.
Conforta-me, agora que me torturam. Fica comigo apenas. No final do dia, preciso mais do que a minha sombra para acreditar na sanidade.
Dá-me a mão, agora, antes que os olhos fiquem baços e eu abandone a crença em ti.