Friday, October 17, 2008

Cedência

Os braços estão dormentes, esperam-te para te aquecerem e para sentirem a tua pele. És amado, mais do que imaginas. Nunca haverá traição nem abandono, és desejado e acarinhado. O teu rosto perfeito não tem a cicatriz que rasga a alma, não cheira a medo e a marginalidade; o teu rosto perfeito não travou lutas inúteis em busca de uma verdade para o mundo que é sempre empírica, sempre vazia.
Ocupas a mente e ocupas o espírito, mais do que qualquer outro passatempo porque despertas a humanidade e a sensibilidade ao toque. Mas, por enquanto, não consegues apagar totalmente a cicatriz feita a sangue frio , os sonhos sombrios demoníacos que sobrevivem no inconsciente nocturno.
Os braços estão dormentes, esperam um abraço teu que pode nunca chegar. Limpaste a ferida sem saberes da sua existência e a dor implícita no corte é o suficiente para testar o teu próprio sentimento.