Wednesday, April 01, 2009

Oposições

Reconheço-o agora, foi um erro inteiro meu. Inteiro, cheio e quente. Mas desculpa-me, não foi consciente, foi verdadeiro todo o esforço, todos os segundos que dedicava á tua maravilhosa e discreta magnificência. Simplesmente, anulou-se o feitiço que me deitaste quando te afastaste. E reconheço agora, queria tanto ter-te por perto, desesperadamente, tanto medo em perder-te , que deixei que a magia atingisse o seu extremo e quebrasse. Agora não sobra nada.
Sempre tive, possivelmente, esta leve consciência de que era um sentimento puro e bonito, de que era uma magia estranha e azul a dominar-me. E sempre soube que terminaria. E que tu morrerias assim. Sendo o teu rosto perfeito apenas mais um.
Reconheço-o, agora, apenas, agora, que nunca te deveria ter dado tanto, foi tudo de coração e intencional. Simplesmente, não existe em mim.
Conviveste e dedicaste o teu precioso e frágil tempo a alguém, que no teu mundo exuberante e cristalino, não existe.