Saturday, April 18, 2009

Lembrança

A consciencia da noite rompe o silencio frio e negro: não está esgotado, há ainda um sorriso que escapa pelos poros da pele quando a tua memória é activada. E só morre quando tu, definitivamente, fizeres valer a tua verdadeira escolha consciente, o trilho que tomarás ,discretamente ,como teu.
Existe, possivelmente, um pedaço de coração guardado para ti, que te pertence. Para sempre. Até ao fim. Se nunca te for entregue, desfazer-se-á em pó, solitário e duro, quando os incontáveis dias atingirem o seu próprio limite. Um pedaço de musculo cheio de sentimentos que só existem para ti. Um bocado de responsabilidade que te não quero dar. O meu trilho é negro e sombrio, luzes são proibidas. Não anseio arrastar-te comigo para a escuridão .
Ainda existes dentro da memória, e no frio alto da noite, a intensidade é libertada. A dor é pequena, a saudade rasga a pele em longos cortes. Mas sobretudo, o sorriso rasgado afoga a angústia no poço do pedaço de coração. Porque ainda existes, num mundo paralelo em que a tua mão quente aquece a minha, indefinidamente fria.