Saturday, January 31, 2009

Lua Cheia

A dureza calcada na existência abrupta cola-se na tua pele e já não despega. A tua consciência fica eternamente activa na tua efemeridade e só descansas no êxtase.
E sabes que nem sempre é uma questão de amor, o mundo tem leis e nem tu as consegues quebrar. Porque, mesmo em negação honesta, pertences a este universo, apenas nunca te misturas.
Mas quando o sorriso é audível e puro a dureza estala fazendo com que os teus sentidos se deixem acariciar pela vida. Ignoras o mundo que te rodeia, esqueces que nunca, mas nunca és miscível com os outros; perdes a consciência que te tortura, alcoolizado por ilimitadas oportunidades que alguém conquistou para ti.
É toda a felicidade a que tens direito, uma simples noite de libertação do lobo que existe em ti numa singular noite de lua cheia. Depois regressas a prisão da tua consciência