Friday, February 06, 2009

Resposta

Talvez um dia chegues verdadeiramente a mim e me toques, sintas que , afinal, sou igual. Quando morrer alguém tomará o meu lugar e tudo o que fui afundar-se-á numa paz cruel.
Depois de tanto esforço e investimento, compreendo parte da tua frustração. Sou o inverso do génio, do artista e de tudo o que engloba o bem. Quebro o sonho , desfaço a ideologia. Defino-me como uma criação perfeita que saiu completamente torta e desengonçada.
Tenho coração, sinto, falho porque não resisto á hipótese de não estar eternamente só no mundo que não me pertence. Erro porque, em certos reflexos solares, tenho um lugar no mundo e tratam-me como gente.
Eu sou igual aos outros ; diferente do que já fui. Vê, não sou a mesma pessoa. Quero outra coisa da vida, procuro incessantemente o meu coração. Não é visível?
Basta isso para fazer toda a diferença.