Monday, January 15, 2007

Music is everything

O fim-de-semana foi passado numa aldeia nos arredores de Sintra. É um sítio pequeno; fechado. Um lugar onde todos os habitantes se conhecem; um lugar onde a velocidade da luz é menor que a velocidade com que se espalha um rumor. Mas apesar de tudo, não desgosto da aldeia: é sossegada. Pessoas mais simples exigem problemas mais simples.Ás vezes a simplicidade perturba-nos. Outras, porém, agrada-nos.
Estranho?Não. Conseguimos ignorar o mundo que nos rodeia, as pessoas que estão à nossa volta. Basta sabermos retirar-lhes o essencial, o conteúdo. E abstraírmo-nos do resto.
Com a ajuda preciosa de Jamie Cullum e Kurt Cobain caminhei numa cidade fantasma onde só existia eu e o meu discman. A coscuvilhice alheia passou-me despercebida. E tudo graças ao poder da mais maravilhosa invenção humana: A música. Sem ela, o que nos resta?

“Music is your only friend,until the end” , Jim Morrison

4 comments:

Anonymous said...

Gostei do teu post!!
O segredo de eu gostar de ir pa terrinha é mm isso a SIMPLICIDADE!!
Mas no meu caso eu n ando com a música fico mm a ouvir o k a natureza nos oferece e k nos é inperceptivel na cidade!!

Mas o meu irmao deveria concordar ctg pois ele agarra no disco-men (lol) á noite e tb as vezes de dia e vai ouvir música andando na rua.

Mas como dizia o outro " Cada qual é como cada um!" :P

Bjocas emmah

Wings said...

Bem... bem dizias tu que ias ficar de olho em mim!lol

Pois... por acaso quando escrevi o post lembrei-me de ti :P tu é q gstas de ir pa terrinha :)

Ainda bem que gostaste ;)

bjO*

Anonymous said...

LOL
Ah pois é!! :P:P

alice in wonderland said...

Gostava de poder partilhar esse gosto pela "terrinha". Mas não consigo. A simplicidade das pessoas transforma-se nunca ignorância tão grande que invariavelmente me sinto mais só do que nunca. É como se ali o meu Mundo estivesse desconectado por completo.
No entanto partilho a admiração pelo Jim Morrison, que apesar de louco e drogado tinha consciência suficiente de que estamos sós se não encontrarmos a completude na música.
E que quem não vive com ela está só, apenas não sabe...

Beijinho