Sunday, May 09, 2010

"Scream of the butterfly"

Que dia é hoje? Que importa? Todos os dias são iguais, uns mais proximos do Inverno e outros mais proximos do Verao. Todos os dias são iguais. Não teimes nisso, em entristecer-me ao som da tua expectativa genial frustrada e violentada. Todos os dias são diferentes, cada dia é divinal , mesmo que nenhum de nos se aperceba disso. Não me arrastes para essa tua tristeza desmedida de uma vida mal vivida. A miséria não procura companhia, procura uma justificação para se entregar a um suicidio aborrecido.
Deixa-me em paz, deixa-me só na minha felicidade de ser sozinho. Te não necessito. Lamento, és mais do que inutil. Crucificas a paciencia. Deixa-me aqui , feliz comigo. Procuras emendar a tua triste e patética vida no meu futuro que ainda se não concretizou. Mas, etende, o futuro é meu e vou dar-lhe o som que melhor me soar. A tua opiniao é so isso, uma opiniao. Tiveste a tua oportunidade de decidir o som que querias ser. Se a perdeste não me culpes, não me responsabilizes. O som que perdeste era o teu, eu tenho o meu . Não é algo que se transmita. Se falhaste a vida é culpa tua.
Que dia é hoje? Não quero saber. É um dia comum em que decidi quem quero ser.
E adeus. Não sou essa pessoa, que fica para te fazer menos infeliz. Devias ter vivido quando podias , se agora é tarde para ti é cedo ainda para mim. Lamento, adeus.
Sei exactamente que dia é hoje. É o dia do grito da borboleta. O dia da Liberdade.

2 comments:

maybe said...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

Alice in Wonderland said...

"E adeus. Não sou essa pessoa, que fica para te fazer menos infeliz."

Como se ao cedermos a nossa felicidade pudessemos de facto tornar alguém mais feliz.
Não há maior erro.

Texto magnifico
=)