Saturday, April 07, 2007

Fantasma da Ópera

Nem sempre a Bela prefere o Monstro. É um facto tão cruel como triste - talvez mais melancolico e triste do que cruel. A maior parte das pessoas é triste: o plano exterior è determinante, o plano interior secundário. Por vezes, torna-se dificil olhar a beleza por detrás da fealdade.

Hoje estreou O Fantasma da Ópera na televisão. Um filme triste. Christine, a protagonista, troca a música do fantasma,a voz bela do fantasma, o amor estranho do fantasma por Raoul, um ser perfeitamente comum. A Bela não conseguiu preferir o Monstro. Instintivamente, cometo o erro de dizer que todos os que se deixavam amedrontar e horrorizar pela metade da cara defeituosa do Fantasma da Opera , tinham a alma mais distorcida que a cara dele. É inevitavel. É um erro permanente. Meu e deles. Eles porque julgam e importam-se demasiado com o exterior, menosprezando o interior; incapazes de ver tanto a genialidade como o homem por detrás do Monstro. E meu porque chamo, incosncientemente , à Bela-Christine , insensivel.

Nem sempre a Bela prefere o Monstro...