Friday, December 15, 2006

A boa dureza da vida...

Quem passou pela vida em branca nuvem
E em plácido repouso adormeceu
Quem não sentiu o frio da desgraça
Quem passou pela vida e não sofreu
Foi espectro de Homem, não foi Homem
Passou pela vida, não viveu

Francisco Octaviano

Porque às vezes o mais díficil é o mais correcto; o mais exigente è a melhor opção; porque, de facto, nem tudo é o que parece, este poema não poderia ser mais real... e duramente belo.